Navios e aviões russos iniciam manobras no Golfo da Biscaia

Agência EFE

MOSCOU - Navios e aviões de guerra russos iniciaram hoje em águas do Golfo da Biscaia, no Oceano Atlântico, a última fase das manobras militares na região, as primeiras desde a queda da União Soviética (1991).

"Entre 28 de janeiro e 2 de fevereiro aviões russos bombardearão navios inimigos, encenarão uma batalha aérea e realizarão patrulhas', informou o porta-voz da Força Aérea, Aleksandr Drobishevski, à agência 'Interfax'.

Mais de 40 aparelhos russos se somarão a partir de hoje aos exercícios, entre eles aviões estratégicos e bombardeiros, aviões de detecção por radar, aviões-cisterna e caças.

- Todos os aviões da Força Aérea Russa respeitarão rigidamente as regras internacionais de utilização do espaço aéreo em águas neutros, não infringindo a fronteira de nenhum país - acrescentou.

Participam das manobras navios de assalto das frotas russas do Norte e do Mar Negro, além do porta-aviões 'Almirante Kuznetsov'.

O navio cruzeiro 'Moscou', embarcação-símbolo da Frota do Mar Negro equipado com mísseis guiados, zarpou hoje do porto de Lisboa para participar das manobras conjuntas com navios portugueses.

O objetivo das manobras nos Golfo da Biscaia é comprovar a eficiência dos mísseis e dos sistemas de artilharia dos navios da Marinha e da Força Aérea da Rússia.

Embora estes exercícios tenham sido estipulados pela Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), não deixaram de causar alarme, especialmente no Reino Unido, com quem a Rússia mantém tensas relações bilaterais.