Obama vence na Carolina do Sul graças ao voto negro

Agência EFE

WASHINGTON - O senador Barack Obama venceu hoje por uma ampla vantagem nas primárias do partido democrata em Carolina do Sul, onde recebeu o dobro dos votos da senadora Hillary Clinton, graças ao esmagador apoio dos negros.

Obama conquistou 55% dos votos, o dobro da ex-primeira-dama, que obteve 27%, e muito acima dos 18% do ex-senador John Edwards.

O resultado de hoje representa um duro revés para Edwards, devido às expectativas que tinha de obter uma boa colocação no Estado que o viu nascer, e onde ganhou em 2004 frente a seu oponente, John Kerry.

O fato de metade dos cidadãos que foram votar ser afro-americana, segundo as pesquisas de boca-de-urna, poderia ter ajudado o senador a vencer esta disputa, na qual houve uma grande polarização racial dos eleitores.

Oito de cada dez eleitores afro-americanos que compareceram às urnas votaram em Obama, enquanto apenas dois escolheram a ex-primeira-dama dos Estados Unidos.

Em sua primeira aparição pública após obter a vitória, Obama tentou, segundo os analistas políticos, amenizar a tensão racial que houve na campanha nos últimos dias, e evitar, portanto, que seja considerado "o candidato dos afro-americanos", o que poderia prejudicá-lo no resto do país.

- Nestas eleições não se trata de escolher segundo a região de cada um, a religião ou o gênero. Não se trata de ricos contra pobres, jovens contra velhos, nem brancos contra negros. Trata-se (de uma batalha) do passado contra o futuro - disse publicamente.

Após suas derrotas em New Hampshire e Nevada, o senador se coloca novamente agora na primeira linha de ataque frente às eleições em outros estados sulinos, como Geórgia e Tennessee, onde a população negra também é majoritária.