Chávez propõe nova fórmula para permitir reeleições presidenciais

Agência EFE

CARACAS - O presidente venezuelano, Hugo Chávez, propôs neste domingo, como uma hipótese de trabalho, que em 2010 seja convocado um referendo para que se emende o artigo constitucional que limita a uma a reeleição presidencial.

Chávez lançou a idéia durante seu programa dominical 'Alô Presidente!', no qual esteve acompanhado pelo presidente nicaragüense, Daniel Ortega.

A possibilidade de que o presidente possa ser reeleito por mais de uma vez foi derrotada, junto a outras 60 propostas, no referendo sobre a reforma constitucional realizado em dezembro.

Chávez propôs que, se for a vontade popular e se a maioria quiser, poderia ativar um novo mecanismo para possibilitar mais reeleições.

O presidente disse que poderia aproveitar que em janeiro de 2010 seu mandato chega à metade para ativar a opção constitucional do referendo revogatório e acrescentar a essa consulta uma segunda pergunta sobre a reeleição.

- Sou capaz de convocar eu mesmo o referendo revogatório contra meu mandato, sem que ninguém o convoque, mas que teria duas perguntas - afirmou.

A primeira pergunta seria a do próprio referendo, sobre se o eleitor quer que o presidente termine seu mandato em janeiro de 2013 ou quer que seja interrompido e deixe a Presidência naquela data, em 2010.

A segunda, cuja natureza legal deveria ser estudada, perguntaria:

- O senhor concorda em emendar o artigo 227 da Constituição, onde diz que o presidente só poderá ser reeleito uma vez?.

- Esse seria um cenário, mas não quero que discutamos isso agora porque seria cedo - acrescentou.

Ele também disse que os revolucionários devem trabalhar intensamente, porque se tiver que entregar o comando a um contra-revolucionário em janeiro de 2013 'a guerra viria'.

- Imaginem se assume um Governo contra-revolucionário que comece a perseguir os militares patriotas, os conselhos comunais, os médicos cubanos, os programas alimentícios, as bolsas de estudos, que privatizasse a saúde, isso seria a guerra - afirmou.

Depois se dirigiu aos venezuelanos opositores e disse:

- Pensem, vejam além, porque nós somos o projeto da paz e eles são o projeto da guerra.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais