Ex-ministro venezuelano da Defesa pede que Colômbia ignore Chávez

Agência AFP

CARACAS - O ex-ministro da Defesa da Venezuela, o general Raúl Baduel, pediu que o governo colombiano ignore o presidente Hugo Chávez, que acusou Bogotá e Washington de realizar uma "provocação bélica" contra seu país, segundo uma entrevista publicada neste sábado.

- Peço que o povo colombiano ignore isso, que assuma a ignorância dessa verborragia de falta de respeito e que siga seu esforço de consolidar a paz e desviar de quem pretende passar como um atacante - declarou Baduel ao jornal colombiano El Tiempo.

O ex-ministro acredita que Chávez busca recuperar o apoio popular na Venezuela em momento que, segundo ele, a situação interna está se complicando.

- O que ele quer é a reinvenção para conseguir o aglutinamento em torno dele, sob a ameaça de um suposto inimigo externo - disse.

Chávez acusou na sexta-feira o presidente colombiano Alvaro Uribe de "estar preparando uma conspiração, uma provocação bélica contra a Venezuela, atuando como peão do império americano".

Os vínculos entre Bogotá e Caracas se deterioraram no final de novembro, quando Uribe terminou precocemente a mediação de Chávez com a guerrilha das FARC. O presidente colombiano afirmou, na época, que Chávez privilegiava os guerrilheiros.

Os problemas aumentaram ainda mais quando Chávez propôs à comunidade internacional conceder status político e retirar a classificação de terrorista às Farc e ao Exército de Liberação Nacional (ELN), as maiores guerrilhas desse país.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais