Putin rejeita independência do Kosovo e assina contratos de energia

Agência AFP

MOSCOU - O presidente russo Vladimir Putin garantiu nesta sexta-feira a seu colega sérvio, Boris Tadic, a oposição categórica da Rússia a qualquer declaração unilateral de independência do Kosovo, durante a assinatura de importantes acordos energéticos no Kremilin.

- A Rússia se opõe categoricamente a uma proclamação unilateral de independência do Kosovo - insistiu Putin à imprensa.

- Isso poderia provocar graves danos ao sistema de direito internacional e teria conseqüências negativas tanto para os Bálcãs, quanto para o mundo - ressaltou.

Boris Tadic agradeceu a seu tradicional aliado o apoio "sem o qual a Sérvia teria mais dificuldade em defender seus interesses no Kosovo". Mesmo com o apoio russo, Belgrado se isolou na comunidade internacional, notadamente diante de Washington e de uma maioria dos Estados-membros da União Européia, que consideram a independência como inevitável.

Na véspera, o primeiro-ministro kosovar, Hashim Thaçi, disse que a proclamação da independência de sua província não era mais do que "uma questão de dias". Diplomatas europeus calculavam que ela ocorreria entre o final de fevereiro e o início de março.

- A Sérvia nunca renunciará à preservação de sua integridade territorial - insistiu Tadic ao lado de Putin.

O jornal russo Kommersant ironizava nesta sexta-feira esta troca de gentilezas, vendo no apoio de Moscou a Kosovo uma recompensa a Belgrado pelos importantes ativos cedidos ao gigante russo Gazprom.

Os acordos sobre gás e petróleo, anunciados em 22 de janeiro por Belgrado, só foram assinados de fato durante esta cerimônia presenciada pelo primeiro-ministro sérvio, Vojislav Kostunica, e o vice-primeiro-ministro russo, Dmitri Medvedev, sucessor designado de Vladimir Putin.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais