Musharraf promete eleições livres e pacíficas

Agência EFE

LONDRES - O presidente do Paquistão, Pervez Musharraf, disse hoje, em Londres, que as eleições legislativas que acontecerão em 18 de fevereiro em seu país serão "livres, justas, transparentes e pacíficas".

- Qualquer vírus no sistema que pudesse ser manipulado foi eliminado por mim e pelas autoridades eleitorais - afirmou o chefe de Estado, que está em viagem oficial pela Europa.

O pleito legislativo no Paquistão estava inicialmente previsto para 8 de janeiro, mas foi adiado para 18 de fevereiro após o assassinato, no fim de dezembro, da ex-primeira-ministra e líder opositora Benazir Bhutto.

Numa apresentação a um grupo de estudos sobre temas ligados à defesa, Musharraf frisou que ninguém pensou em encobrir o que tinha ocorrido e que seu país é capaz de conduzir uma investigação profunda sobre a morte de Bhutto.

- Temos muito claro que queremos saber como foi assassinada e quem fez isso - disse o presidente, que atribuiu o pedido de assistência à Scotland Yard a possíveis "debilidades" técnicas e periciais das equipes paquistanesas.

Musharraf, que se definiu como um firme "crente" nos direitos humanos, nas liberdades individuais e na liberdade de expressão, também insistiu na importância para a comunidade internacional de que o Paquistão tenha êxito na luta contra o terrorismo.

- Estamos na vanguarda da luta contra o terrorismo e o fundamentalismo. Nosso sucesso é de vital importância. Temos que ganhar porque, se perdermos, acho que haverá um impacto na região e no mundo, talvez nas ruas européias - disse o chefe de Estado, que chegou ao Reino Unido procedente do Fórum Econômico Mundial de Davos.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais