Bush, protegido por 4 mil agentes, se reunirá amanhã com Abbas

Agência EFE

RAMALA - O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, que chega nesta quarta-feira a Israel, se reunirá amanhã com o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, na Muqata de Ramala, sob a proteção de mais de 4 mil agentes de segurança.

Segundo funcionários da ANP, Abbas, que se reuniu ontem em Jerusalém com o primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, solicitará a Bush que atue como árbitro nas negociações de paz entre israelenses e palestinos, conforme estipulado na Conferência de Annapolis, dia 27 de novembro.

Além disso, ele pedirá que o presidente americano obrigue o Governo israelense a suspender as construções nos assentamentos judaicos da Cisjordânia.

Colonos judeus e extremistas da direita nacionalista israelense, que se opõem à criação de um Estado palestino e repudiam a visita de Bush, lançaram ontem a pedra fundamental de dois novos enclaves.

Um deles fica perto de Ramala, 15 quilômetros a norte de Jerusalém, e o outro no distrito de Hebron, em Gush Etzion.

O presidente dos Estados Unidos chegará à Muqata a bordo de um helicóptero.

Ele aterrissará no heliporto que o presidente Yasser Arafat costumava utilizar. Mas não visitará o mausoléu do líder palestino, segundo o programa da visita.

Esta manhã, os agentes de segurança palestinos e americanos estabeleceram um rígido controle das ruas próximas, vigiadas por franco-atiradores.

Organizações islâmicas e grupos da esquerda palestina criticam a visita de Bush à Cisjordânia. Israel, que controla a segurança no território, fechou ontem à noite todos os seus acessos.