UE apóia mediador da União Africana no Quênia

Agência EFE

BRUXELAS - A União Européia (UE) expressou seu apoio ao presidente de Gana e da União Africana (UA), John Kufuor, eleito para mediar entre o Governo e a oposição queniana, e pediu às forças implicadas que colaborem nesta tarefa.

A Presidência da UE, atualmente exercida pela Eslovênia, condenou os recentes atos de violência no Quênia e pediu aos líderes políticos que atuem com a máxima contenção e evitem qualquer comentário ou ação que possa provocar novas ondas de violência.

- A população do Quênia exerceu seu direito ao voto nas eleições de 27 de dezembro de maneira digna e agora tem todo o direito a esperar que se respeitem seus direitos humanos neste momento em que há dúvidas sobre a validade dos resultados eleitorais - afirma a UE.

Por isso, o bloco pediu aos líderes quenianos que respondam às preocupações com a regularidade do processo eleitoral expostas pelos observadores da UE, por organizações quenianas da sociedade civil e outros supervisores internacionais.

A UE espera que todas as partes recorram ao diálogo e que façam o possível para alcançar uma solução política, enquanto se mantém disposta a prestar seu apoio ao resultado deste processo.

O bloco recebe com satisfação a disposição da União Africana para ajudar o Quênia a encontrar uma saída para a atual crise e apóia outros esforços africanos com o mesmo fim.