Treze mil médicos peruanos entram em greve

Agência EFE

LIMA - Cerca de 13 mil médicos dos hospitais públicos do Peru iniciam nesta terça-feira uma greve por tempo indefinido, já que não chegaram a um acordo com o Governo peruano sobre suas reivindicações trabalhistas.

O presidente da Federação Médica do Peru, Julio Vargas, confirmou a "lamentável decisão". Ele disse que só recebeu uma oferta do ministro da Saúde, Hernán Garrido Lecca, que não satisfaz à categoria.

Vargas disse à "Cadeia Peruana de Notícias" que, apesar da greve, os médicos estão dispostos a continuar o diálogo com o Ministério para chegar a uma solução.

O atendimento nos centros médicos será restringido às áreas de emergência e às unidades de terapia intensiva.