Oposição queniana suspende manifestação para facilitar negociações

Agência EFE

NAIRÓBI - A oposição do Quênia anunciou hoje a suspensão de uma manifestação que seria realizada na terça-feira em Nairóbi para permitir que haja negociações 'em paz e harmonia' a fim de resolver a grave crise que atinge o país.

O protesto tinha sido convocado pelo opositor Movimento Democrático Laranja (ODM), que reivindica sua vitória nas eleições de 27 de dezembro, cujo vencedor oficial foi o presidente Mwai Kibaki.

O líder do ODM, Raila Odinga, afirmou em entrevista coletiva que o partido está disposto a se sentar para negociar 'a partir de agora', levando em conta que o Governo aceitou a mediação do presidente da União Africana, John Kufuor, chefe de Estado de Gana.

Desde 31 de dezembro Odinga quer realizar uma concentração em massa no parque Uhuru, no centro da capital, mas o ato veio sendo adiado desde então.

Os distúrbios políticos e tribais ocorridos após as eleições causaram a morte de 486 pessoas, segundo o último relatório oficial divulgado hoje pelo Ministério de Assuntos Programas Especiais.

Odinga fez estas declarações após se reunir com a secretária de Estado Adjunta dos Estados Unidos para Assuntos Africanos, Jendayi Frazer, que chegou a Nairóbi na sexta-feira para facilitar uma mediação entre o Governo e a oposição.

- Anulamos a manifestação prevista para amanhã para poder trabalhar e negociar em um ambiente de paz e harmonia. Estamos dispostos a nos sentar para negociar a partir de agora - afirmou o líder da oposição.