Oposição do Quênia promete mais protestos contra Kibaki

REUTERS

NAIRÓBI - A oposição do Quênia planeja realizar mais protestos de rua na terça-feira para tentar afastar o presidente Mwai Kibaki.

Ao mesmo tempo, representes oposicionistas irão se reunir com mediadores internacionais para discutir como encerrar a crise no país.

O líder do Movimento Democrático Laranja (ODM, na sigla em inglês), Raila Odinga -- que se considera o verdadeiro presidente do Quênia --, encontra-se nesta segunda-feira com o mais alto representante diplomático dos Estados Unidos na África, Jendayi Frazer.

Mas, apesar da proibição policial, o ODM disse que não desistirá dos protestos.

Embora a maior parte do país pareça ter voltado a um estado de calma, há relatos não confirmados de Uganda de que 30 quenianos afogaram-se depois de ser perseguidos por agressores rumo a um rio na fronteira entre as duas nações.

A polícia do lado queniano não pôde confirmar a informação.

As manifestações contra a contestada reeleição de Kibaki paralisaram Nairóbi e outras cidades na semana passada, enquanto a polícia combatia simpatizantes de Odinga.

A violência pós-eleitoral manchou a imagem do Quênia de reduto de estabilidade no leste da África e ameaça sua economia -- a maior da região.