Morales e governadores mantém suas posturas na véspera de diálogo

Agência EFE

LA PAZ - O presidente Evo Morales e os nove governadores da Bolívia, seis deles opositores, se aprontam para o diálogo de amanhã com posturas quase irreconciliáveis sobre o projeto constitucional e os estatutos regionais de autonomia.

- A maioria do povo boliviano tem esperança de que amanhã se inicie um processo histórico - comentou hoje à Agência Efe o Defensor Público, Waldo Albarracín, para quem apesar de ainda se verificarem 'sinais de intransigência' em ambas as partes o diálogo vai permitir 'ir além das posições intocáveis'.

- Para haver um acordo necessariamente tem que se ceder - lembrou Albarracín às vésperas da decisiva reunião, marcada para esta segunda-feira às 18h (20h de Brasília) na cidade de La Paz.

No entanto, tanto o Governo Morales como os governadores regionais opositores demonstraram nas últimas horas que continuam com a defesa ferrenha de seus respectivos projetos.

O presidente se reuniu com seus partidários no sábado em Cochabamba (centro) para começar uma campanha pelo 'sim' ao projeto de nova constituição, que ainda deve ser submetido a referendo e que a oposição ameaça desacatar por considerar 'ilegal'.

Morales e o vice-presidente, Álvaro García Linera, explicaram aos dirigentes e constituintes da assembléia do partido Movimento Ao Socialismo (MAS, governo) que comandarão a campanha que deve divulgar o projeto, se for possível, 'casa por casa e boca a boca', publica hoje o jornal de La Paz 'La Razón'.