Mercosul e Lula condenam atentado contra Benazir Bhutto

Agência JB

BUENOS AIRES - O Mercosul expressou nesta sexta-feira uma enérgica condenação ao "brutal atentado" que ontem tirou a vida do líder da oposição paquistanesa, Benazir Bhutto. Os Estados-membros do bloco (Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai) e seus associados (Bolívia, Chile, Equador, Peru, Colômbia e Venezuela) transmitiram "aos familiares das vítimas e ao povo do Paquistão suas mais sentidas condolências", de acordo com uma declaração divulgada pela Chancelaria da Argentina, a cargo da Presidência semestral do Mercosul.

Já o Governo brasileiro manifestou, em nota à imprensa, "sua mais enérgica condenação e repúdio a qualquer ato de terrorismo e de violência política e expressa a convicção de que somente o diálogo e a democracia poderão conduzir à reconciliação nacional". No comunicado divulgado no site do Itamaraty, o presidente Lula assina a seguinte mensagem ao presidente Pervez Musharraf:

"Foi com grande pesar e indignação que tomei conhecimento do ataque terrorista perpetrado em 27 de dezembro, que resultou na morte da ex-Primeira-Ministra Benazir Bhutto e de dezenas de outros cidadãos paquistaneses. Ao expressar meu firme repúdio ao recurso à violência na vida política, transmito a Vossa Excelência o sentimento de solidariedade do povo e do Governo do Brasil diante desse inaceitável ato terrorista. Peço transmitir aos familiares das vítimas e ao povo paquistanês as profundas condolências do Governo brasileiro".