Começa primeira fase da missão para resgatar reféns das Farc

Agência AFP

CARACAS - A missão aérea que tem como objetivo resgatar na Colômbia os três reféns que serão libertados pelas Farc começou nesta sexta-feira às 15h30 (18h de Brasília), segundo imagens divulgadas ao vivo pela TV venezuelana.

Dois helicópteros MI-17 com o emblema do Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) decolaram do aeroporto de Santo Domingo, 650 km ao sudoeste de Caracas, e devem chegar ao aeroporto de Villavicencio, na Colômbia, após duas horas de vôo.

Villavicencio servirá de base logística antes da segunda fase da operação, que consistirá em ir com esses mesmos helicópteros ao local de encontro determinado pela guerrilha colombiana, segundo o CICV.

- Começou a primeira etapa da Operação Emmanuel - declarou o emissário francês, o embaixador da França em Caracas Hadelin de la Tour-du-Pin, referindo-se ao nome dado à missão pelo presidente venezuelano, Hugo Chávez.

- A primeira fase consiste em se aproximar do objetivo, e a segunda será a operação de recuperação - explicou Chávez.

- A segunda fase deve começar no sábado. Esperamos poder terminar a operação neste mesmo dia - acrescentou.

A delegação internacional formada por emissários de sete países latino-americanos e europeus, entre eles o assessor da presidência brasileira para Assuntos Internacionais, Marco Aurélio Garcia, e o ex-presidente argentino Nestor Kirchner, estava na pista do aeroporto de Santo Domingo junto com o presidente venezuelano, mas partirá a bordo de aviões Falcon quando a segunda fase da missão começar.

- Os reféns não chegarão hoje (sexta-feira) - avisou Chávez.

O dirigente explicou que ainda não recebeu as coordenadas do local de encontro com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) devido às "péssimas condições meteorológicas" na região.

O emissário colombiano Luis Carlos Restrepo se juntará à delegação internacional em Villavicencio O diretor de cinema americano Oliver Stone vai filmar a missão.

Chávez fez ironia sobre sua presença, chamando Stone de "emissário do presidente americano, George W. Bush".