Colômbia espera aeronaves para ajudar em libertação de reféns das Farc

Agência EFE

VILLAVICENCIO - O aeroporto de Vanguardia, da cidade colombiana de Villavicencio, centro do departamento (estado) de Meta, está pronto nesta sexta-feira para receber as aeronaves venezuelanas que participarão da 'missão aérea humanitária' pelos seqüestrados das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc).

A presença policial e militar nas proximidades e no próprio terminal é notória, embora hoje tenham permitido o acesso da imprensa que aguarda os representantes internacionais - entre eles o assessor especial para Assuntos Internacionais do presidente Lula, Marco Aurélio Garcia - para libertação dos reféns das Farc.

A ex-candidata à Vice-Presidência colombiana Clara Rojas, de 44 anos seu filho Emmanuel - fruto de um relacionamento com um guerrilheiro - e a ex-parlamentar Consuelo González de Perdomo, de 57 anos, serão libertados pela guerrilha.

Fontes do serviço meteorológico de Vanguardia disseram à Agência Efe que as condições climáticas são favoráveis e que o terminal "funcionará normalmente até às 16h30 (19h30 de Brasília)'.

A televisão estatal colombiana instalou equipamentos - numa parte estratégica do aeroporto desta cidade, 126 quilômetros ao sudeste de Bogotá - para transmitir ao vivo à Colômbia e à Venezuela a chegada das aeronaves.

Também informaram à Agência Efe que o Governo venezuelano reservou 40 quartos no Hotel del Llano, e alugou três ônibus e algumas caminhonetes.

Além disso, disponibilizou cerca de 40 mil litros de gasolina para as aeronaves.

Aproximadamente 200 policiais vigiam o aeroporto e um esquadrão antidistúrbios com homens fortemente armados está espalhado pela torre de controle e outras áreas.

Segundo fontes diplomáticas, delegados da Cruz Vermelha aguardam que as Farc indiquem as coordenadas para que os helicópteros da entidade encontrem os reféns.

Em Vanguardia também estão dezenas de jornalistas, nacionais e estrangeiros, correspondentes de emissoras, de jornais, cinegrafistas e repórteres cinematográficos.

Os representantes internacionais que são esperados a bordo das aeronaves venezuelanas com sinais da Cruz Vermelha Internacional, estão liderados pelo ex-presidente da Argentina Néstor Kirchner e pelo chanceler desse país, Jorge Taiana.

Também fazem parte o ex-ministro do Interior Gustavo Larrea (Equador), o vice-ministro de Coordenação com os movimentos sociais Sacha Llorenti (Bolívia) e os embaixadores de França e Cuba em Caracas.

O alto comissário para a paz da Colômbia, Luis Carlos Restrepo, e a senadora colombiana Piedad Córdoba - que mediou junto ao presidente da Venezuela, Hugo Chávez, a troca humanitária cancelada pelo Governo de Alvaro Uribe em 21 de novembro - também participarão da delegação.