Candidato da oposição sai na frente em eleições no Quênia

Agência EFE

NAIRÓBI - Com cerca de 40% dos votos apurados, o candidato da oposição à presidência do Quênia, Raila Odinga, tem um milhão de votos a mais do que seu concorrente direto, o atual presidente queniano Mwai Kibaki, que tenta se reeleger.

Odinga faz parte do Movimento Democrático Laranja (ODM, na sigla em inglês), enquanto Kibaki é o líder da lista do Partido de União Nacional (PNU).

O presidente da Comissão Eleitoral do Quênia, Samuel Kivuitu, confirmou os últimos números das eleições às 19h30 locais (14h30 de Brasília), em uma grande entrevista coletiva concedida na sede da Comissão.

Kivuitu lembrou que ainda falta muito para o fim da apuração dos votos, principalmente no centro e no leste do país e na capital Nairóbi, motivo pelo qual mudanças nos resultados podem acontecer nas próximas horas.

O presidente da Comissão apenas analisou e ratificou os resultados de 32 dos 210 colégios eleitorais do país.

Kivuitu acrescentou que a participação eleitoral supera 70%, um recorde histórico.

A Comissão anunciou também que o pleito foi cancelado em mais de 15 colégios eleitorais devido a diversos motivos, desde erros de anotação nas cédulas até casos de fraude.

Kivuitu explicou que os eleitores dos locais afetados por estes problemas poderão votar em novas datas a serem estabelecidas.

O diretor-geral da Polícia queniana, Hussein Ali, comentou em entrevista coletiva que houve quatro assassinatos de membros do ODM e do PNU em Nairóbi e em Kisumu durante os dois últimos dias, mas não deu detalhes.

Ainda não se sabe quando os resultados definitivos das eleições gerais e legislativas serão divulgados.

Para chegar à presidência do Quênia, os candidatos devem obter a maioria dos votos e necessitam ter sido eleitos deputados. Também é preciso obter pelo menos 25% dos votos em cinco das oito regiões do país.