Pelo menos 14 morrem em pontos do Paquistão após morte de Bhutto

Agência EFE

LAHORE - Pelo menos 14 pessoas morreram nesta quinta-feira em distúrbios registrados em vários pontos do Paquistão após o assassinato da ex-primeira-ministra Benazir Bhutto, informaram meios de imprensa eletrônicos paquistaneses.

Dez pessoas morreram em tiroteios na cidade de Karachi (sul), onde ativistas do Partido Popular do Paquistão (PPP) de Bhutto incendiaram veículos e postos de gasolina em várias partes da cidade, segundo uma fonte policial citada pelas televisões locais.

Outras duas pessoas morreram na cidade oriental de Lahore, onde seguidores de Bhutto também incendiaram comércios, ônibus e carros, segundo um chefe policial da região.

Na localidade de Tando Allahyar, situada na província sudeste de Sindh, a Polícia carregou contra um protesto e o choque deixou o saldo de um manifestante morto.

Outro homem morreu em um tiroteio no distrito de Khairpur, também em Sindh, segundo a Polícia.

Os ativistas do PPP reagiram à morte da líder atacando alvos da Liga Muçulmana do Paquistão-Q (governo) e queimando postos de gasolina e veículos.