Gordon Brown diz que Bhutto foi morta por covardes

Agência EFE

LONDRES - O primeiro-ministro do Reino Unido, Gordon Brown, disse nesta quinta-feira que a ex-primeira-ministra e líder da oposição paquistanesa Benazir Bhutto 'foi assassinada por covardes que temem a democracia'.

- Este é um dia triste para a democracia. É um momento trágico para o Paquistão - disse Brown, que descreveu Bhutto como 'uma mulher de imensa coragem'.

- Ela arriscou sua vida tentando alcançar a democracia no Paquistão e foi assassinada por covardes que temem a democracia - ressaltou o chefe do Governo britânico.

- Benazir Bhuto - prosseguiu Brown -pode ter sido assassinada por terroristas, mas os terroristas não devem ter permissão para assassinar a democracia no Paquistão.

Antes, o ministro de Assuntos Exteriores do Reino Unido, David Miliband, se disse 'muito comovido' com o 'ataque sem sentido' que acabou com a vida da líder opositora e que causou pelo menos 20 mortes.

O líder do Partido Conservador britânico, David Cameron, também condenou o 'horroroso ato de terrorismo' do qual foi alvo a ex-primeira-ministra paquistanesa.

- O Paquistão perdeu hoje uma de suas filhas mais valentes. Os responsáveis (pelo atentado) não mataram apenas uma líder corajosa, mas puseram em risco o retorno do país à democracia - acrescentou Cameron.

Por sua vez, Nick Clegg, líder do Partido Liberal-Democrata, disse que 'hoje é um dia negro para todos os que acreditam num futuro estável e democrático para o Paquistão'.