Rússia exportará sistema antiaéreo para o Irã, diz ministro

REUTERS

RIO - O ministro iraniano da Defesa, Mostafa Moahmmad Najjar, disse na quarta-feira que a Rússia aceitou vender ao Irã o sistema de mísseis antiaéreos S-300, que tem alcance maior do que o TOR-M1, o qual Moscou disse neste ano ter fornecido a Teerã, num contrato de 1 bilhão de dólares muito criticado pelo Ocidente.

O Irã está sob sanções das Nações Unidas devido à insistência em manter um programa de enriquecimento de urânio, que o país diz se destinar exclusivamente para fins pacíficos. Os EUA e seus aliados suspeitam que Teerã possa desenvolver armas atômicas com essa tecnologia nuclear.

"O sistema S-300, sob um contrato assinado no passado com a Rússia, será entregue ao Irã", disse Najjar à agência de notícias Fars, sem entrar em detalhes.

"O momento da entrega será anunciado posteriormente", acrescentou. A agência Isna transmitiu despacho com o mesmo teor.

Os EUA e Israel dizem que o Irã poderia usar o TOR-M1 para atacar seus vizinhos. A Rússia diz que se trata de um sistema de curto alcance, puramente defensivo.

No mês passado, Najjar disse que o Irã nunca atacaria outro país, mas que quem tentar invadi-lo "enfrentará uma resposta esmagadora."

Sob o governo de Vladimir Putin, as empresas bélicas russas buscam agressivamente novos clientes na América Latina, Ásia e Oriente Médio, o que criou tensões com os EUA. Em 2006, Washington impôs sanções à estatal russa Rosoboronexport por supostamente cooperar com o Irã, o que Moscou disse ser ilegal.