Sarkozy não admite perder para o terrorismo

Agência AFP

CABUL - O presidente francês, Nicolas Sarkozy, declarou neste sábado que os aliados não podem perder a guerra contra o terrorismo no Afeganistão, após um encontro com seu colega, Hamid Karza, em Cabul.

Para o chefe de Estado francês, que realiza visita de algumas horas ao país, 'há duas coisas extremamente importantes em jogo no Afeganistão: a solidez dos acordos entre aliados e a guerra contra o terrorismo', disse aos jornalistas que o acompanham nessa viagem, insistindo sobre a necessidade de uma "frente unida".

Sarkozy destacou que é preciso agir para que o "Afeganistão não se torne um Estado terrorista", como aconteceu quando os talibãs estavam no poder, de 1996 até o final de 2001, antes de serem derrubados por uma coalizão internacional por seu apoio à Al-Qaeda.

- Há uma guerra aqui, uma guerra contra o terrorismo, contra o fanatismo, que não podemos e não devemos perder - frisou. Desde que foram derrubados, os talibãs lançaram uma insurreição contra o poder do presidente Karzai, eleito democraticamente em 2004, e as tropas estrangeiras que o apóiam.