GEF investirá US$ 30 milhões na Amazônia e outras florestas

Agência EFE

BALI - O maior órgão de financiamento do meio ambiente do mundo, Global Environmental Facility (GEF), anunciou neste sábado em Bali, na Indonésia, um programa de financiamento de US$ 30 a 40 milhões para conservar a Amazônia, as florestas da bacia do Congo e as ilhas de Nova Guiné e Bornéu.

A linha de financiamento Iniciativa de Conta para as Florestas Tropicais vai custear o salvamento dos ecossistemas florestais nas principais zonas verdes do planeta, declarou à Efe o brasileiro Gustavo Fonseca, chefe da seção de Recursos Naturais do GEF.

- O desmatamento provoca 20% das emissões de gases nocivos. Por isso, 20% da solução da mudança climática passam pela conservação das florestas tropicais - disse Fonseca.

Os projetos financiados pelo programa poderão beneficiar 17 países.

- A janela para salvar as últimas extensões de florestas tropicais que restam, que produzem serviços ambientais cruciais, está se fechando rapidamente - declarou Monique Barbut, diretora do GEF, ao apresentar a iniciativa, em Bali.

A iniciativa do GEF pretende também conservar a biodiversidade, explicou.

- O futuro das florestas tropicais está ligado ao futuro da biodiversidade. Estas florestas são o lar de mais da metade da biodiversidade do planeta - disse Barbut. Ela acrescentou que as perdas do habitat de florestas tropicais ameaçam 74% dos mamíferos, 44% das aves, 57% dos anfíbios e 67% dos répteis em risco de extinção.

O GEF é a maior organização internacional dedicada a financiar projetos ambientais em países em vias de desenvolvimento. Ele investe seus fundos em promover um desenvolvimento sustentável, conservar a biodiversidade, mitigar a mudança climática e prevenir a degradação da terra e a destruição da camada de ozônio, entre outros.

Desde a sua criação, em 1991, o fundo dedicou US$ 7,4 bilhões a subvenções e US$ 28 bilhões a programas de co-financiamento, com 1.800 projetos em 150 países.