Líder druso apoia Sleiman para presidência do Líbano

Agência EFE

LÍBANO - O líder druso libanês Walid Jumblatt, que até então sempre havia sido contra que um militar chegasse à Presidência, se declarou nesta sexta-feira favorável a que o chefe do Exército, o general Michel Sleiman, assuma o cargo.

Em uma entrevista ao jornal An-Nahar, Jumblatt disse que o Parlamento "aprovará a emenda da Constituição" necessária para que Sleiman possa assumir a Presidência do país.

- É muito importante para a estabilidade no Líbano que seja eleita uma pessoa que desempenhou papel-chave para manter o Exército unido, se manteve afastado da política e protegeu os civis e instituições nas piores condições - argumentou.

Também disse que a decisão "é apenas libanesa", e que a escolha do general "não fere nenhuma sensibilidade".

Sleiman "é conhecido por seu papel ativo em salvaguardar a democracia, assim como as instituições" - acrescentou.

O apoio de Jumblatt se une aos que a maioria dos partidos e líderes libaneses já tinham oferecido a Sleiman. Apenas o partido xiita Hisbolá - o principal grupo da oposição - não se pronunciou sobre sua posição a respeito do chefe do Exército.

Segundo a Constituição libanesa, um alto cargo não pode disputar a Presidência se não renunciou dois anos antes de sua função. Para emendar a Constituição, é necessário que o Governo apresente um projeto de lei ao Parlamento para sua aprovação.