Autoridades mantêm silêncio sobre incidente em escritório de Hillary

Agência EFE

WASHINGTON - A autoridades se mantêm em silêncio sobre o incidente no qual um homem, supostamente armado com uma bomba, tomou vários reféns em um escritório da pré-candidata democrata à Presidência dos Estados Unidos Hillary Clinton na cidade de Rochester, em New Hampshire.

O capitão Paul Callaghan, da Polícia local, compareceu pouco antes das 17h (20h de Brasília) perante a imprensa, mas não respondeu às dúvidas que existem sobre o incidente.

- Esta é uma investigação em andamento - disse Callaghan, que, por isso, várias vezes se negou a responder às perguntas sobre a situação no interior do escritório eleitoral.

Segundo informação da imprensa local que não foi confirmada pela Polícia, os reféns já foram libertados, mas o agressor, que supostamente tem uma bomba, permanece dentro do escritório.

A região permanece isolada em um raio de cinco quarteirões e a Polícia controla a área.

Uma equipe de investigadores tenta neste momento negociar com o agressor, de aproximadamente 40 anos, cujas possíveis exigências ainda permanecem em segredo.

Hillary Clinton, que tinha discursaria hoje no Comitê Nacional Democrata em Vienna, no subúrbio de Washington, na Virgínia, teve de cancelar seu pronunciamento por causa do episódio.

Neste momento, a ex-primeira-dama se encontra na capital dos Estados Unidos, desde onde está em permanente contato com as autoridades que realizam a investigação em New Hampshire.