Otan nega mortes de civis em bombardeio aéreo de segunda-feira

Agência EFE

CABUL - A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) negou que tenha havido vítimas civis no bombardeio aéreo que suas tropas lançaram na segunda-feira no Nordeste do Afeganistão, quando morreram 12 pessoas.

- A investigação realizada até agora indica que não houve mortes civis - garantiu em comunicado um porta-voz da Força Internacional de Assistência à Segurança (Isaf), sob comando da Otan, Carlos Branco.

O governador da província de Nuristão, At-Ta'mim Nuristani, disse que no ataque - que atribuiu às forças dos Estados Unidos - morreram 12 civis afegãos que trabalhavam na construção de uma estrada.

A Otan assumiu hoje a autoria do bombardeio, mas informou que tinha como alvo 'um conhecido líder talibã' e acrescentou que 'o acampamento de construção mais próximo estava a mais de um quilômetro do lugar bombardeado'.

- Tomamos medidas extraordinárias para confirmar o alvo pretendido, e somente este é atacado - insistiu Branco.

A Otan está investigando agora por que empregados da companhia de construção Amerifa asseguraram em um primeiro momento que as vítimas eram 'talibãs' e um dia depois disseram que eram 'civis', segundo a nota.