Médicos destacam rápida recuperação de siamesas costarriquenhas

Agência EFE

PAU ALTO - As siamesas costarriquenhos Yurelia e Fiorella Rocha-Arias, que nasceram unidas pelo peito e abdômen, se recuperam com rapidez da delicada cirurgia em que foram separadas, no dia 12.

Na última terça-feira, Yurelia saiu da área cardiovascular de terapia intensiva para ser levada à unidade de cuidado intermediário do Hospital Infantil Lucile Packard, em Stanford. Fiorella deve seguir o mesmo caminho no fim desta semana.

- Estamos muito contentes com os resultados - disse à agência Efe Gail Wright, médica da unidade de terapia intensiva cardiovascular, responsável pela recuperação das irmãs depois da separação.

Ela previu que Yurelia sairá do hospital em uma ou duas semanas, e sua irmã Fiorella depois de mais sete.

A recuperação de Fiorella está levando um pouco mais de tempo devido porque a pele de seu peito "não estava cicatrizando bem" e houve a necessidade de "reconstruir a área com tecidos especiais" no último dia 19, explicou Wright.

As duas deverão retornar à Costa Rica em janeiro.

- As chances de sobrevivência das duas durante a operação eram de 50%. Por isso, todos estão maravilhados por elas estarem progredindo tão bem - disse Wright.

A última operação de Yurelia foi no dia 14, para corrigir um defeito congênito do coração.

Os pais das gêmeas, María Elizabeth Arias e José Luis Rochas, agradeceram à Mending Kids International, ao hospital e a todas as pessoas que se preocuparam com elas.