Hamas afirma que 'a Palestina não pode se partir'

Agência EFE

GAZA - O movimento islâmico Hamas afirmou em comunicado divulgado nesta quinta-feira que 'a Palestina é um só território geográfico e não se pode partir', ao lembrar os 60 anos da resolução da ONU para a partilha do antigo protetorado britânico na região palestina.

Essa resolução propunha a criação de um Estado nacional árabe e outro judeu no território onde atualmente é Israel, Faixa de Gaza e Cisjordânia, que era então administrado pelo Reino Unido, o que foi rejeitado pelos palestinos e pelos países árabes.

- Essa resolução (número 181 do Conselho de Segurança da ONU) permitiu a partilha das terras da Palestina entre seus residentes (árabes), que foram expulsos à força (por Israel durante a guerra de 1948), e os judeus e sionistas recém-chegados - afirma o Hamas no texto.

O movimento islâmico lembra que 'o aniversário da partilha coincide com a conferência em Annapolis', e denuncia que 'os Estados Unidos quiseram eliminar dessa maneira a causa palestina a fim de completar a conspiração contra nosso povo'.

A criação de um Estado palestino que viva em paz junto ao de Israel é o objetivo final do processo de negociação que essa conferência de paz pretendia lançar, e, se esse objetivo for cumprido, representaria a aplicação do princípio que inspirou a resolução aprovada há 60 anos.