Terrorismo causou 949 mortes de civis e 346 de agentes de segurança

Agência EFE

NOVA DÉLHI - As atividades terroristas causaram a morte de 949 civis e 346 membros das forças de segurança na Índia entre janeiro e outubro de 2007, segundo dados governamentais.

Os mais atingidos foram os estados do centro e do leste do país, onde 383 civis e 188 agentes morreram por causa da violência da guerrilha maoísta, segundo uma resposta parlamentar escrita do vice-ministro do Interior indiano, Prakash Jaiswal.

Os maoístas, que têm sua área de influência nas regiões rurais e empobrecidas destes estados, perderam 127 de seus homens até outubro de 2007.

As atividades terroristas acabaram também com a vida de 139 civis e 95 agentes na região indiana da Caxemira, onde 411 'terroristas'

foram mortos pelo Exército, segundo a resposta parlamentar.

A partir do fim da década de 80, apareceram numerosos grupos armados independentistas e pró-paquistaneses nesta região, em disputa entre a Índia e o Paquistão.

Outra das áreas mais voláteis do país são os estados do nordeste, onde numerosos grupos separatistas lutam pela independência de territórios com grandes diferenças étnicas e religiosas em relação ao resto do país.

Nesta região, morreram este ano 427 civis e 63 membros das forças de segurança, além de 435 pessoas consideradas terroristas pelo Governo indiano.

Em 2006, 1.219 civis e 384 membros das forças de segurança morreram por causa de atividades terroristas.