Para Israel, Venezuela é a porta do Irã na América Latina

Agência EFE

BUENOS AIRES - O diretor do departamento para a América do Sul da Chancelaria de Israel, Alexander Ben Zvi, disse nesta quarta-feira em Buenos Aires que a Venezuela é 'a porta de entrada' do Irã na América Latina.

- A Venezuela não é uma preocupação para Israel, mas deveria ser para o resto dos países da América Latina, especialmente para as comunidades judaicas - disse em entrevista coletiva Ben Zvi, que está visitando a Argentina.

Após comentar as relações entre os presidentes da Venezuela, Hugo Chávez, e do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, o israelense disse que a Argentina 'não está imune' e 'já conhece o problema'. Foi uma referência aos dois atentados terroristas contra alvos da comunidade judaica no país, na década de 1990.

O primeiro alvo foi a embaixada de Israel em Buenos Aires, em 17 de março de 1992. O atentado matou 29 pessoas. Em 18 de julho de 1994, foi a vez de a Associação Mutual Israelita Argentina (Amia), de Buenos Aires, ser atacada, com um resultado de 85 mortos.

Pelo segundo atentado, a Justiça argentina pediu a captura internacional de oito dirigentes iranianos e um libanês.

Ben Zvi disse que o Irã 'é uma preocupação mundial' e que através de Chávez tenta 'ganhar apoio' na América Latina, aproximando-se da Bolívia e da Nicarágua.