Chávez diz que 'bando de fascistas não vai deter a História'

Agência EFE

CARACAS - O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, voltou a denunciar supostos 'planos de desestabilizadoção' e afirmou que 'um bando de fascistas' não vai conseguir deter 'a marcha da História'.

- Faremos o que for preciso fazer - disse Chávez, num discurso de cerca de duas horas no programa 'La Hojilla' do canal estatal "Venezolana de Televisión', que terminou nesta madrugada. Ele afirmou que as autoridades estão preparadas para enfrentar qualquer situação.

O presidente venezuelano disse que 'um bando de fascistas não vai conseguir deter a marcha da História'. Foi uma referência a supostos planos para causar distúrbios no referendo de domingo, sobre a reforma constitucional, ou ao não reconhecimento dos resultados eleitorais se o 'sim' vencer.

Ao chamar os venezuelanos a votar pela reforma no domingo, Chávez disse que as forças da ordem estão preparadas para responder com um plano contra distúrbios de rua.

- Eu disse aos generais, almirantes e oficiais comandantes de guarnição que redobrem a inteligência. A melhor guerra é a que se ganha sem disparar um tiro - comentou.

- Em todo caso, as Forças Armadas estão ativadas. A ordem que dei é de neutralizar, frear, evitar. Mas faremos o que for preciso - disse.

Durante o programa, Chávez defendeu suas propostas de mudanças, destinadas, segundo sua análise, a dar 'mais poder' ao país. Ele também denunciou imagens da rede americana 'CNN' que, na sua opinião, podem constituir um convite 'ao magnicídio'.

- Vamos ganhar limpamente. Aconselho serenidade. Vamos a outra grande vitória - acrescentou o presidente.