Candidatos a ministro debatem economia na Austrália

Agência EFE

SYDNEY - A campanha para as eleições de 29 de novembro na Austrália destacou a área econômica, com um debate ao vivo na TV entre os candidatos a ministro da Fazenda: o atual ocupante do cargo, Peter Costello, e seu rival, o trabalhista Wayne Swan.

No debate, em Canberra, os dois candidatos se definiram como conservadores no que diz respeito à economia. Além disso, concordaram que a Austrália precisa de mão-de-obra qualificada para tirar proveito do bom momento de sua economia.

- Como Kevin Rudd (líder trabalhista), sou um conservador econômico -, disse Swan. Ele explicou que suas normas básicas de gestão serão manter o superávit orçamentário, a independência do banco central e aumentar a capacidade de liberar a pressão sobre as taxas de juros.

- Não podemos administrar as universidades ou os hospitais sem uma economia forte -, disse o candidato trabalhista.

Segundo Swan, a economia australiana está num momento forte. E, se o Estado não investir na proteção das famílias trabalhadoras, "estará desperdiçando uma oportunidade de ouro".

Costello concordou com Swan e aproveitou para anunciar que seu Governo gastará US$ 154 milhões na ajuda às pequenas empresas para a formação de seus trabalhadores. Ele lembrou que as taxas de juros, hoje de 6,5%, estão mais baixas do que com o Governo trabalhista, há quase 12 anos.

Também defendeu o aumento da dívida externa, que na última década passou de 176 para 500 bilhões de dólares australianos (de US$ 161,92 bilhões para US$ 460 bilhões).