Atentado suicida mata sete pessoas perto da residência de Musharraf

Agência EFE

ISLAMABAD - Um ataque suicida a apenas um quilômetro da residência do presidente do Paquistão, Pervez Musharraf, matou sete pessoas, o que eleva a 596 o número de mortos na onda de atentados registrados no país este ano.

O agressor, um pedestre, detonou os explosivos que carregava na região de Katchehry Chowk, situada a apenas um quilômetro da Casa do Exército, a residência destinada ao chefe das Forças Armadas, cargo ocupado pelo próprio Musharraf.

Segundo uma fonte da Polícia de Rawalpindi, o suicida detonou os explosivos em um posto de controle quando os agentes, que suspeitaram dele, ordenaram que fosse revistado.

O ataque matou sete pessoas, sendo três policiais, e feriu outras 14, entre elas mulheres e crianças que viajavam em uma caminhonete de passageiros que passava pelo local do atentado.

Os feridos foram levados a um hospital militar, e a região foi isolada pela Polícia e por soldados paramilitares.

Apesar da proximidade da residência do general Musharraf, o secretário de Interior paquistanês, Kamal Shah, disse que o alvo do suicida eram os policiais que estavam no posto de controle, que estão entre as principais vítimas.

O ministro de Ferrovias paquistanês, Rashid Ahmed, afirmou que o Governo tinha indícios de que "três terroristas tinham entrado no território de Rawalpindi", muito perto de Islamabad.