Aumenta para 21 número de mortos após passagem da tempestade 'Noel'

Agência EFE

SAN CRISTÓBAL - Pelo menos 21 pessoas morreram e 33 estão desaparecidas na República Dominicana, após a passagem da tempestade tropical "Noel", segundo fontes oficiais.

A maioria das mortes foi na província de San Cristóbal, no sudeste do país, onde dez pessoas morreram e entre 18 e 20 estão desaparecidas, disse à agência Efe o governador da localidade, Orlando Espinosa.

Outras cinco pessoas morreram na província de San José de Ocoa, também no sudeste, e duas em Bonao, no norte - duas das áreas mais afetadas pelas chuvas e que permanecem incomunicadas.

Mais duas pessoas morreram em La Ciénaga, na capital, e o mesmo número foi registrado no município de Constanza, em La Vega, norte do país.

Além disso, cerca de 3.295 pessoas foram removidas por causa das chuvas e 659 casas foram afetadas, de acordo com a Comissão Nacional de Emergências.

O "Noel" também obrigou à suspensão de todos os vôos nos principais aeroportos pela manhã, alguns dos quais foram reabertos posteriormente.

O Serviço Nacional de Meteorologia informou que as chuvas continuarão entre as próximas 24 e 48 horas. Por isso, o Centro de Operações de Emergência (COE) declarou alerta vermelho para 27 províncias.

O Centro Nacional de Furacões (NHC) dos Estados Unidos, com sede em Miami, informou em seu boletim das 21h (19h, horário de Brasília) que os ventos máximos sustentados pelo "Noel" aumentaram para 85 km/h e foi previsto um ligeiro fortalecimento nas próximas 24 horas.

Nessa hora, o centro da tempestade estava localizado próximo à latitude 20,9 graus norte e longitude 74,2 graus oeste, a 80 quilômetros ao norte da ponta, leste de Cuba e a 340 quilômetros ao sul-sudeste de Great Exuma, nas Bahamas.

O fenômeno se desloca em direção ao noroeste, a 24 km/ h e tem Cuba como próximo alvo terrestre, por isso o Governo da ilha emitiu um "aviso" de tempestade tropical para setores do centro e do sudeste, nas províncias de Camagüey e Las Tunas.