Morales pede fim do sigilo bancário na luta contra o narcotráfico

Agência EFE

RIMINI, ITÁLIA - O presidente da Bolívia, Evo Morales, pediu neste domingo o fim do sigilo bancário como método de luta contra o narcotráfico.

Morales fez as declarações em entrevista coletiva após receber em Rimini (nordeste da Itália) uma medalha outorgada pelo Centro Pío Manzú, organização internacional sem fins lucrativos e ligada às Nações Unidas.

O presidente boliviano pediu à Europa e aos Estados Unidos que impeçam que as contas bancárias sejam secretas como medida imprescindível para se lutar contra os narcotraficantes.

Morales reiterou sua defesa da produção da folha de coca, que assegurou, foi o que o levou à Presidência da Bolívia.

Além disso, pediu às 'Nações Unidas que retirem a folha de coca da classificação de entorpecentes', já que, apesar de ser a matéria-prima da qual se obtém a cocaína, apresenta 'grandes benefícios'.

Morales explicou 'que não se pode confundir a folha de coca com a cocaína, nem seus produtores com narcotraficantes, nem seus consumidores com drogados'.

Por isso, defendeu seu projeto de 'delimitação' dos cultivos, mas "sem chegar nunca à erradicação total' pois, acrescentou, isso representaria um 'dano histórico ao movimento indígena'.