Argentina: 27 milhões de eltiores vão às urnas hoje

Portal Terra

BUENOS AIRES - Cerca de 27 milhões de argentinos vão às urnas neste domingo para eleger o novo presidente da República, 24 senadores e 130 deputados federais. Além da eleição presidencial, oito Estados da Argentina - como Buenos Aires e Santa Cruz - também elegerão governadores, prefeitos e vereadores. As mesas para votação vão funcionar até às 18h.

Ao todo são 14 candidatos à Presidência, entre eles, Cristina Kirchner (Frente para a Vitória), Elisa Carrió (Coalizão Cívica), Roberto Lavagna (UNA), Alberto Rodriguez Saá (Frejuli), Ricardo López Murphy (Recriar), Jorge Sobisch (Movimento Popular Neuquino), Nétor Pitrola (Partido Obreiro), Fernando Solanas (Projeto Sul), Vilma Ripoli (Nova Esquerda), Raúl Castells (MIJD), Gustavo Breide Obeid (PPR) e Juan Ricardo Mussa (CLP).

O Estado de Buenos Aires conta com um número recorde de candidatos nestas eleições. São mais de 20 mil políticos competindo para as vagas de presidente, governador, senador e deputado federal. Além dos 14 candidatos à Presidência, o Estado mais importante da Argentina ainda apresenta 15 candidatos a governador. Ao todo 58 partidos se inscreveram. Buenos Aires também representa 40% do eleitorado do país, com mais de 10 milhões de votantes que se distribuirão entre as 26 mil mesas de votação.

Segundo o jornal argentino Clarín, oito das nove pesquisas de intenção de voto coincidem: Cristina Kirchner será eleita presidente da República hoje mesmo. Apenas uma pesquisa apontou que haverá um segundo turno - ou ballotage, como dizem os argentinos - entre a primeira-dama e Elisa Carrió, também apontada como segunda candidata mais votada nos demais estudos. O código eleitoral argentino diz que o candidato que obtém 45% dos votos válidos é considerado vencedor no primeiro turno, e ainda acrescenta que para uma vitória no primeiro turno, já basta 40% da votação total desde que a diferença em relação ao segundo candidato mais votado seja de pelo menos 10 pontos percentuais.