Funcionários da Al Jazira protestam contra prisão de jornalista

Agência EFE

CUBA - Funcionários da emissora de televisão Al Jazira organizaram neste sábado um protesto em Doha para exigir a libertação de um cinegrafista da empresa detido na prisão da base militar americana de Guantánamo, em Cuba. desde junho de 2002.

O sudanês Sami al Hajj foi capturado em dezembro de 2001 na fronteira entre Afeganistão e Paquistão pelo Exército paquistanês e preso desde 13 de junho de 2002 em Guantánamo. A Al Jazira, uma das emissoras mais assistidas no mundo árabe, mostrou imagens do protesto e disse que a manifestação foi organizada pela Comissão Árabe para a Defesa dos Jornalistas Presos.

"Liberdade para Sami", "Ponham um fim no sofrimento de nosso companheiro" e "Seu número (na prisão) é 345" eram algumas das palavras nos cartazes levados pelos manifestantes, entre os quais estava Mohammad, filho de Sami.

A emissora lembrou que Hajj está desde 2002 em Guantánamo sem ter sido julgado, e alertou que seu estado de saúde vem piorando há mais de um ano.