Turquia está pronta para mandar tropas ao norte do Iraque

REUTERS

ANCARA - O primeiro-ministro da Turquia, Tayyip Erdogan, deu luz verde nesta terça-feira para uma possível incursão do país ao norte do Iraque para acabar com os rebeldes curdos escondidos na região, depois de uma série de ataques mortais contra as forças de segurança turcas.

Erdogan está sob forte pressão do poderoso Exército turco e dos partidos de oposição para tomar duras medidas contra os rebeldes do ilegal Partido dos Trabalhadores do Curdistão depois que o grupo matou 13 soldados no domingo perto da fronteira com o Iraque.

O ministro da Defesa, Vecdi Gonul, disse que o Parlamento turco precisa autorizar qualquer operação militar em larga escala --um cenário que muitos analistas dizem ser improvável--, mas afirmou que tal permissão não seria necessária para operações limitadas e de perseguição.

Washington pediu que a Turquia, uma aliada da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), não empreenda uma ação militar no norte do Iraque, majoritariamente ocupado por curdos, temendo que isso possa desestabilizar a região mais pacífica do país.

- Para colocar um fim na organização terrorista operando no país vizinho (Iraque), a ordem foi dada para que se tome todo tipo de medida, legal, econômica, política, incluindo uma operação do outro lado da fronteira, se necessário - disse o gabinete de Erdogan em um comunicado.

A Casa Branca afirmou nesta terça-feira que está comprometida em trabalhar com a Turquia e o Iraque para combater o partido curdo. O porta-voz Gordon Johndroe não comentou especificamente se a Casa Branca apoiaria qualquer incursão turca na região.