Acordo por reféns será prioridade em encontro de Chávez e Uribe

REUTERS

BOGOTÁ - A Colômbia considerou prioridade a discussão do acordo humanitário para a libertação de reféns capturados pela maior guerrilha de esquerda do país, na reunião de sexta-feira, entre os presidentes Alvaro Uribe e Hugo Chávez.

O encontro será realizado na inauguração do gasoduto Transguajiro, de 335 milhões de dólares e 225 quilômetros, que ligará o leste do lago de Maracaibo, na Venezuela, às reservas de gás natural de Ballenas e Chuchupa, na costa colombiana e dentro do mar do Caribe, operadas pela Chevron .

Também foi convidado para a inauguração do gasoduto em Ballenas, Guajira, o presidente do Equador, Rafael Correa, informou o Ministério das Relações Exteriores da Colômbia em um comunicado.

- Na pauta, o acordo humanitário, que está, na ordem do dia, em primeiro lugar na agenda colombiana e a participação do governo da Venezuela, o que faz com que também esteja na agenda do presidente Chávez - disse o chanceler colombiano, Fernando Araújo.

Chávez atua como mediador de um possível acordo para trocar os sequestrados, entre eles a ex-senadora Ingrid Betancourt e três norte-americanos, por guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) presos pelo governo.