Paquistão: 26 morrem em combates na zona tribal

Agência AFP

ISLAMABAD - Pelo menos 26 pessoas, entre elas quatro civis e dois soldados, morreram neste domingo em combates entre insurgentes e forças de segurança paquistanesas nas zonas tribais do noroeste do país (que fazem fronteira com o Afeganistão), informou o Exército.

Os confrontos, que também deixaram 15 feridos, explodiram na província do Waziristão do Norte, onde os Estados Unidos suspeitam que estão refugiados militantes da Al-Qaeda e talibãs afegãos, apesar da mobilização de 90.000 militares paquistaneses.

O Exército do Paquistão executou um ataque contra os islamitas nas proximidades da cidade de Mir Ali e matou pelo menos 20 deles, segundo o general Waheed Arshad.

O general admitiu duas baixas em suas fileiras. Os moradores da localidade informaram a morte de quatro civis, incluindo três mulheres.

A operação foi uma represália a um ataque na madrugada de sábado para domingo contra um comboio militar, que matou dois soldados e feriu 30 oficiais.

O presidente paquistanês, general Pervez Musharraf, reeleito sábado mas ainda à espera da proclamação oficial dos resultados, afirmou na semana passada que em seu país não existem bases permanentes da Al-Qaeda.

No entanto, admitiu que combatentes islamitas ligados ao grupo terrorista se refugiam nas zonas tribais fronteiriças com o Afeganistão.