Cubanos lutam para conseguir que terroristas sejam punidos

Agência JB

HAVANA - O presidente da Assembléia Nacional do Poder Popular de Cuba, Ricardo Alarcón, afirmou neste sábado que continuará sua luta até conseguir a punição de terroristas protegidos pelos Estados Unidos.

- Seguiremos lutando até que os assassinos sejam castigados - disse Alarcón em manifestação pelos 31 anos da explosão de um avião cubano em pleno vôo em Babados.

Na manifestação, na frente do escritório da missão diplomática americana em Havana, as pessoas carregavam fotos dos "73 mártires de Barbados", como são chamadas as vítimas da explosão, em 6 de outubro de 1976.

- Os mentores do crime continuam gozando da proteção de quem os criou - denunciou Alarcón, em clara alusão à política da Casa Branca.

- Seria bom que dissessem onde está Posada Carriles - continuou, em meio à aprovação do público, que agitava bandeiras cubanas. Carriles é apontado como o principal mentor do ato terrorista contra o avião cubano em Barbados, e que está sob custódia do governo americano desde quetentou entrar candestinamente no país.

- Somos uma grande família que não deixará de lutar até que a verdade prevaleça e a justiça se imponha - completou Alarcón.