Fujimori começa a ser julgado em 26 de novembro

REUTERS

LIMA - A Justiça peruana marcou para o dia 26 de novembro o início do julgamento do ex-presidente Alberto Fujimori por violações aos direitos humanos, as acusações mais graves que provocaram a extradição dele do Chile, informou nesta sexta-feira o chefe de um tribunal especial.

A promotoria pede até 30 anos de prisão por esses crimes. A Justiça decidiu que todas as acusações que provocaram a extradição sejam reunidas em três grandes processos, o primeiro deles denominado Cantuta, Barrios Altos, Porões do SIE (Serviço de Inteligência do Exército).

Cantuta e Barrios Altos são os nomes de dois lugares onde ocorreram chacinas com 25 vítimas, supostamente cometidas por esquadrões da morte. Já os porões da SIE referem-se ao seqüestro de um empresário e de um jornalista contrários ao governo, que ficaram presos em um quartel.

- Vamos começar na segunda-feira, 26 de novembro, e vamos iniciar a causa com o caso Cantuta, Barrios Altos, Porões do SIE. E nessa ordem e progressivamente vamos vendo as demais causas - disse o presidente da Sala Penal Especial da Corte Suprema do Peru, César San Martín.

O segundo processo contra Fujimori incluirá os casos de corrupção denominados 'Interceptação Telefônica, Meios de Comunicação e Congressistas Foragidos'.

O terceiro processo, chamado '15 Milhões', se refere à indenização por tempo de serviço que Fujimori pagou a seu ex-assessor e chefe de espionagem Vladimiro Montesinos.

Fujimori foi extraditado do Chile para o Peru em 22 de setembro, e desde então está detido em um quartel da polícia, sob segurança máxima.