Chávez quer contatar Farc para resolver sequestros na Colômbia

REUTERS

CARACAS - O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, disse que tentará contatar as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), depois de se reunir com um grupo de familiares de pessoas sequestradas, que esperam que Chávez consiga realizar uma troca de prisioneiros.

O governo da Colômbia pediu a mediação de Chávez depois de não conseguir um acordo para libertar 49 pessoas em poder das Farc, que exigem que centenas de seus militantes sejam soltos, algo que Bogotá recusa.

Durante o encontro, Chávez fez um apelo ao chefe das Farc, Manuel Marulanda, e ao presidente colombiano, Álvaro Uribe, para ajudá-lo neste papel.

- Quero pedir-lhes de coração...que nos facilitem a tarefa, que não emperrem o jogo - disse Chávez, ao expressar seu otimismo na missão.

- Espero receber uma resposta, oxalá positiva, das Farc. Tenho muita fé que vai ser assim.

A senadora colombiana da oposição Piedad Córdoba, que atua como mediadora no conflito, lidera a delegação de familiares que viajou a Caracas e em que também se encontra a mãe da ex-candidata presidencial Ingrid Betancourt, sequestrada pelas Farc.

Chávez ofereceu o território venezuelano para a realização das conversas entre o governo colombiano e as Farc.