Bush diz que iraquianos é que devem decidir se trocam de governo

REUTERS

MONTEBELLO - O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, disse nesta terça-feira que cabe ao povo iraquiano substituir ou não o governo do premiê Nuri al-Maliki, e pressionou o governante a tomar mais providências para promover a paz entre xiitas e sunitas.

Bush não chegou a endossar Maliki, e admitiu as dificuldades que o governo dele enfrenta para atingir as metas políticas no Iraque. O embaixador norte-americano no país, Ryan Crocker, afirmou mais cedo nesta terça-feira que os progressos iraquianos eram 'extremamente decepcionantes'.

- Acho que há um certo nível de frustração com a liderança em geral, a incapacidade de unir-se para, por exemplo, conseguir aprovar a lei da receita do petróleo ou das eleições provinciais - disse Bush a repórteres depois de reuniões com os líderes do Canadá e do México.

Os EUA aumentaram para 162 mil o número de soldados no Iraque para tentar acabar com a violência, a fim de que o governo conseguisse atingir as metas políticas. O presidente da comissão de Serviços Armados do Senado norte-americano, Carl Levin, que acaba de voltar do Iraque, pediu na segunda-feira a queda do governo de Maliki.

Bush alegou, no entanto, que há progressos no Iraque, como a distribuição da receita do petróleo para várias províncias, mesmo sem a nova lei sobre a questão, além da aprovação de 60 medidas legislativas pelo Parlamento iraquiano.

- Se o governo não responder às demandas do povo, ele vai trocar de governo. Cabe aos iraquianos tomar essa decisão, não a políticos americanos - comentou.