Mais de 200 ativistas do Fatah são condenados por terrorismo no Líbano

Agência AFP

BEIRUTE - Duzentos e vinte e sete supostos membros do Fatah al-Islam foram condenados nesta segunda-feira pela justiça libanesa por "assassinatos e atos terroristas", declararam fontes judiciais.

Os ativistas, entre eles o chefe do movimento, Chaker el-Abssi, foram acusados pelo procurador-geral do Líbano, Said Mirza, da morte de 11 oficiais e 129 soldados libaneses.

Eles também foram declarados culpados de "atos terroristas e atentados contra o Estado e contra suas instituições civis e militares", e de terem "atirado contra o exército libanês, as forças de segurança e civis".

O procurador Said Mirza pediu a aplicação das penas previstas no código penal, inclusive a pena de morte.