Maradona declara-se 'chavista' em visita à Venezuela

REUTERS

CARACAS - O polêmico Diego Maradona declarou-se 'chavista' neste domingo, dia 19, quando assistiu, na condição de convidado especial, ao programa semanal do presidente venezuelano, Hugo Chávez.

O ex-craque argentino explicou que estava descansando na Venezuela e que, antes de sua viagem, telefonou ao líder cubano, Fidel Castro, para comunicar sua visita.

- Creio em Chávez, e sou chavista. Tudo o que fizer Fidel, tudo o que fizer Chávez, é, para mim, o máximo - afirmou o ex-jogador.

Em seu programa 'Alô Presidente', o mandatário venezuelano exibiu um vídeo em homenagem ao ex-capitão da seleção argentina.

Meses atrás, veículos de comunicação publicaram rumores de que a Venezuela estaria considerando a possibilidade de chamar Maradona para ser diretor técnico de sua seleção.

Como de costume, Diego Maradona criticou os Estados Unidos e pediu apoio aos presidentes esquerdistas.

- Temos que estar ao lado deles e lutar com todas as nossas forças - disse.