Madeleine: polícia voltará a interrogar testemunhas

Portal Terra

LISBOA - A Polícia Judiciária de Portugal irá interrogar novamente diversas testemunhas do Caso Madeleine, dando continuidade às investigações que se iniciaram há mais de 100 dias. De acordo com informações do jornal Diário de Notícias, uma das testemunhas é a britânica Pamela Fenn, 70 anos, que vive no apartamento acima daquele de onde a menina desapareceu, no resort Ocean Club, no sul de Portugal.

De acordo com o jornal, Fenn afirmou a amigos que, "entre 22h30 e 23h45", ela teria ouvido uma criança gritar "Daddy! Daddy!" (Papai! Papai!) do apartamento no andar inferior. O horário seria justamente aquele em que os pais da garota, os médicos britânicos Kate e Gerry McCann, jantavam em um restaurante próximo. Contactada pelo jornal DN, a idosa disse apenas que "não fala com jornalistas".

De acordo com a sobrinha de Fenn, três semanas antes do desaparecimento da menina, Fenn foi alvo de uma tentativa de assalto por um homem que, mais tarde, identificou como tendo as características do retrato-falado do suspeito do seqüestro. De acordo com o jornal, ela afirmou ainda que um indivíduo rondava os apartamentos no período em que ela passava férias com a tia.

A polícia belga confirmou nesta sexta-feira que a menina que uma testemunha reconheceu como sendo Madeleine em julho, em um restaurante de Tongres, no leste do país, não é a britânica, após ter identificado a menor e os dois adultos que a acompanhavam. A Promotoria de Tongres informou que os investigadores chegaram ao homem através do retrato falado elaborado pela testemunha.