Furacão Dean avança rumo a Jamaica e ganha força no Caribe

REUTERS

MIAMI - O Furacão Dean avança na direção da Jamaica e do golfo do México ganhando força e podendo se tornar uma rara tempestade de categoria 5. Ele já provocou três mortes no Caribe.

Com ventos atingindo velocidades de 240 km/h, o Dean até agora é considerado uma tempestade de categoria 4. Trata-se do primeiro furacão do que espera-se ser uma movimentada temporada de tempestades no Atlântico este ano.

A previsão de chegada do furacão na Jamaica é no domingo, após passar ao sul da República Dominicana e pelo Haiti, onde ciclones tropicais costumam provocar enchentes e deslizamentos de terra de proporções catastróficas.

O avanço do furacão vem sendo acompanhado de perto pelos investidores do mercado de energia, que temem que se repitam as interrupções na produção de petróleo e gás no golfo do México registradas durante as tempestades de 2004 e 2005.

As empresas do golfo do México, onde se produz um terço do petróleo que abastece os Estados Unidos, se preparam para retirar seus funcionários de plataformas em alto-mar.

Milhões de pessoas estão em estado de alerta nos países mais populosos do Caribe, em partes do Haiti, incluindo a capital Porto Príncipe, na República Dominicana, Jamaica e partes de Cuba.

Nesta última sexta-feira, dia 17, o Dean abalou as ilhas de Martinica, St Lucia e Dominica, com ventos de até 160 km/h que levaram embora os telhados de muitas casas e provocaram blecaute e deslizamentos de terra.

De acordo com a Agência de Reação a Emergências e Desastres do Caribe, duas pessoas morreram em Dominica, quando a casa em que moravam desmoronou durante um deslizamento de terra. Outra pessoa morreu em St Lucia, por causas ainda desconhecidas.

Todas as plantações de banana de Martinica foram destruídas, assim como 70 por cento dos campos de cana-de-açúcar, segundo afirmou o secretário de Estado francês para territórios ultramarinos, Christian Estrosi.

- O prejuízo em termos econômicos é enorme, até mesmo dramático - afirmou.

Após passar pela Jamaica, o furacão pode atingir a região do canal de Yucatan, no México, prejudicando as atividades de extração de petróleo numa bacia responsável por dois terços da produção mexicana.

A maioria das simulações por computador indica que a tempestade vai atingir partes continentais do México após passar por Yucatan. Uma previsão mostra que o Dean também atingirá o Estado norte-americano do Texas.

Furacões de categoria 5 são muito raros e poderosos. Até 2005, ano em que foram quebrados recordes de intensidade de furacões, apenas em 1960 e 1961 haviam sido registradas mais de uma tempestade da categoria num só ano.

Em 2005, quatro furacões atingiram a categoria 5 da escala Saffir-Simpson: Emily, Katrina, Rita e Wilma.