AI reitera seu compromisso com a defesa dos direitos humanos

Agência EFE

MÉXICO - Representantes da Anistia Internacional (AI) de diversos países reiteraram seu compromisso com a luta para erradicar a pobreza e a desigualdade, e para reforçar a defesa dos direitos humanos, durante seu 28º encontro internacional, informou neste sábado a secretária-geral da AI, Irene Khan, em comunicado.

Mais de 400 representantes de 75 países participaram esta semana no International Council Meeting, em Cocoyoc (México), um fórum que a AI organiza a cada dois anos para revisar e decidir seu trabalho no âmbito dos direitos humanos.

Segundo Khan, os desafios colocados pelos direitos fundamentais "de um mundo dividido pela desigualdade, impunidade e pobreza pedem uma defesa valente dos direitos humanos".

Neste sentido, indicou que os delegados de cada região do mundo corroboraram a importância da AI na defesa dos direitos dos setores mais marginalizados.

Khan lembra na nota que a organização é "o maior movimento mundial de ativistas pelos direitos humanos".

As pessoas que vivem em situações de pobreza não têm o "acesso ao poder necessário para moldar as políticas que poderiam erradicar a pobreza e, com freqüência, lhes são negados os remédios efetivos das violações de seus direitos humanos", denuncia Khan.

Com a prevenção da violência contra as mulheres como foco central de sua campanha, os líderes da AI se comprometeram também a continuar trabalhando para conseguir o respeito universal dos direitos sexuais e de reprodução.

Na nota, a AI afirma que falta um ano para que aconteçam os Jogos Olímpicos de Pequim, e lembra que tanto as autoridades chinesas como o Comitê Olímpico Internacional disseram que os primeiros ajudarão os direitos humanos nesse país.