Vítimas de terremoto saqueiam empresas no Peru

REUTERS

LIMA - Vítimas do terremoto de quarta-feira no Peru saquearam na sexta-feira algumas empresas e caminhões de alimentos, em meio à desordem na distribuição da ajuda humanitária que chega de diversas partes do mundo.

Apesar do apelo por calma feito pelo presidente Alan García, dezenas de moradores de Pisco, a zona mais afetada, invadiram lojas, farmácias e padarias, segundo relato de repórteres da Reuters.

A polícia teve de intervir e chegou a dar tiros para o alto, segundo imagens mostradas pela TV.

Cerca de 40 pessoas, cansadas de esperar numa fila, invadiram uma farmácia na praça central de Pisco e pegaram leite em pó, fraldas e outros produtos.

A poucos metros dali, outras dezenas de pessoas, inclusive crianças e idosos, entravam nos escombros de uma padaria, apesar dos riscos. Alguns levavam pães que restavam, outros saíam com botijões de gás, até que a polícia os expulsasse.

A imprensa local disse que moradores de localidades próximas estão rendendo motoristas e saqueando caminhões com alimentos que viajam de Lima a Pisco.

Segundo os últimos dados oficiais, o tremor de magnitude 8 matou mais de 500 pessoas e destruiu mais de 16 mil moradias.