EUA anunciarão medidas para aumentar segurança em importados chineses

Agência EFE

WASHINGTON - O Secretário de Saúde dos Estados Unidos, Mike Leavitt, anunciou nesta sexta-feira que o Governo americano emitirá em novembro uma série de recomendações para aumentar a segurança de importações de alimentos e outros produtos, principalmente os chineses.

Leavitt tratará este tema com o Governo chinês em pelo menos duas viagens que vai realizar antes do final do ano para o país asiático.

As recomendações fazem parte do Grupo de Trabalho para analisar as condições de segurança nas importações, criado em julho a pedido do Governo dos EUA. Elas permitirão revisar as práticas de troca comerciais internacional e determinar onde podem ser introduzidas melhoras.

A comissão, dirigida por Leavitt, trabalha para promover a segurança das importações. O trabalho ficará centrado nos países exportadores, nas companhias do setor de importações dos EUA e agências locais, estatais e federais.

O secretário de Saúde prevê apresentar ao Executivo um relatório sobre as lacunas no sistema de importação. O presidente dos EUA, George W. Bush, emitirá as recomendações do Governo.

O anúncio ocorre após os consumidores terem manifestado crescente preocupação com a segurança das importações chinesas, cujos brinquedos apresentaram um alto teor de chumbo, além de pasta de dentes e mariscos.

Além disso, a declaração do secretário também aconteceu alguns dias após a multinacional Mattel retirar do mercado mais de 9 milhões de brinquedos fabricados na China.

Os consumidores ficaram consternados e os congressistas começaram a propor mudanças na lei que regula as importações.

O senador democrata Christopher Dodd - pré-candidato presidencial às eleições de 2008 - fez exigências para que o Governo Bush suspenda as importações de alimentos, brinquedos e comida para animais produzidos na China.

- Exijo que sejam tomadas medidas imediatamente para paralisar por um tempo as importações da China, com base nas nossas obrigações legais sob as normas da Organização Mundial do Comércio - afirmou Dodd em carta enviada a Bush.

Dodd também culpou os empresários americanos pelo pânico que as importações resultaram, "o que demonstra claramente que o sistema de inspeção do Governo é deficiente".

O pré-candidato presidencial exigiu que Bush "trabalhe com o Congresso" para resolver os problemas existentes no sistema de inspeção das importações.