EUA desaconselham parentes de desaparecido a irem ao Irã

REUTERS

WASHINGTON - O Departamento de Estado dos EUA disse na segunda-feira ter aconselhado a família de um ex-agente do FBI desaparecido no Irã a pensar duas vezes sobre ir ao país, onde quatro outros cidadãos norte-americanos já foram detidos neste ano.

Mas o Departamento disse que cabe à família de Robert Lavinson, desaparecido desde março, decidir se vai ou não ao Irã em busca de informações sobre ele.

Caso vá, a família Lavinson é aconselhada a seguir o alerta dado a todos que viajam ao Irã. Em 31 de maio, o Departamento de Estado emitiu boletim em que 'continua a alertar os cidadãos dos EUA a considerar cuidadosamente os riscos de viajar ao Irã', e lembra que cidadãos com dupla nacionalidade (iraniano-americana) podem enfrentar dificuldades para deixar o Irã.

Quatro norte-americanos foram aprisionados ou proibidos de deixar o país nos últimos meses, o que o governo dos EUA vê como um 'padrão perturbador' de assédio contra iranianos com a dupla nacionalidade.

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais